Carreira: 5 coisas que todo mundo deveria aprender com o estagiário

Novos talentos entram no mercado de trabalho com qualidades visadas pelas empresas, como proatividade e sede de aprender

Ao pensar em um estagiário, era comum imaginar um jovem inexperiente carregando documentos, servindo café e realizando pequenas tarefas enfadonhas que ninguém mais queria fazer. Porém, há tempos os aprendizes deixaram os bastidores para assumir papeis relevantes dentro das empresas. Como prova disso, a plataforma Estagiários Online, especialista em recrutamento de estudantes, selecionou cinco atitudes e qualidades inerentes à nova geração que todos os profissionais deveriam cultivar. Confira:

1.      Desafiar a hierarquia

Não aceitar a palavra do chefe só por ser o chefe. Colocar o seu ponto de vista e questionar atitudes engessadas – sempre com educação e no momento adequado – são ações que promovem a boa comunicação e relacionamento da equipe, além do sentimento de pertencimento à empresa.

2.      Estar atualizado

A nova geração é naturalmente inquieta, curiosa e traz a tecnologia no sangue. Faz parte do perfil de quem está entrando no mercado estar antenado nas redes sociais e tendências do setor. “É impossível estar alheio aos novos recursos digitais. Aqueles que subestimaram o poder das redes sociais foram passados para trás por quem percebeu o potencial das comunidades virtuais para ações de marketing, por exemplo”, comenta Kleber Costa, CEO do Estagiários Online.

3.      Flexibilidade

Para os estagiários não há tarefas melhores ou piores, todas trazem algum tipo de aprendizagem. O desejo de extrair o máximo de experiência faz com que eles assumam diversas funções e tenham uma amostra de diferentes setores da empresa, conhecimento desejável a todos os funcionários.

4.      Aprender com o outro

“Por estar no início da vida profissional e ter pouca experiência, espera-se que o estagiário pergunte aquilo que não ficou claro”, afirma Costa. Porém saciar as dúvidas – e não ter vergonha disso – deve ser um costume de qualquer funcionário, pois evita mal-entendidos.

5.       Proatividade

Todo estagiário quer mostrar trabalho para seus superiores e, por isso, a proatividade é uma característica comum. Apresentar ideias criativas, ter iniciativa e estar à disposição dos colegas quando for necessário são atitudes que devem iniciar no estágio e perdurar até o fim da vida profissional.

É um estagiário mesmo que você quer contratar?

Descubra quando vale a pena somar à equipe um estudante ou alguém mais experiente

Ocupar posições de estágio que demandam um desempenho semelhante ao de um profissional formado é a realidade de muitos universitários, mas esse cenário está longe do ideal. Para evitar um equívoco de contratação, Daniela sugere responder a quatro perguntas na hora de abrir uma vaga:

Qual a competência técnica exigida?

Se a ideia é contratar um estagiário, é preciso estar preparado para receber alguém que ainda está aprendendo. Em bom português, isso significa que ele vai precisar de auxílio para pegar, aos poucos, o cotidiano e as exigências do cargo – o que é muito positivo para empresas com propostas disruptivas. Já se a necessidade é a de um profissional com mais experiência ou que vá ocupar um cargo com muitas responsabilidades, é o caso de partir para um funcionário de perfil mais sênior.

É uma vaga de alta rotatividade?

Uma taxa de turnover elevada custa caro no caso de profissionais plenos, mas não para estagiários. Ou seja, se a vaga não demanda uma mesma pessoa por um longo período de tempo, contratar um estudante pode ser uma boa pedida. “Isso não significa que um estagiário não possa crescer e fazer carreira dentro de uma empresa, mas de uma maneira geral essa não é a tendência desse modelo de contração”, diz a CEO do Estagiários Online.

Qual a carga horária necessária para desempenhar as funções?

Um contrato de estágio pode prever 20 ou 30 horas semanais de trabalho. Quando a quantidade de tarefas estipulada pode ser desempenhada dentro dessa carga horária, este é um bom contexto para a contratação de um universitário. Além disso, estágios naturalmente requerem maior flexibilidade para que a agenda de estudos não seja prejudicada.

Qual o orçamento da vaga?

O grande descompasso na contratação de um estagiário ocorre quando as respostas anteriores indicam a necessidade de um profissional sênior para o cargo, mas o orçamento da companhia permite pagar apenas uma bolsa-auxílio. “Infelizmente, mesmo que a conta feche, o prejuízo da dinâmica de trabalho será grande, tanto para o funcionário quanto para a empresa”, afirma a CEO. Nesse caso, vale reavaliar o budget disponível ou reorganizar a equipe para que o estagiário desempenhe, de fato, funções de um estagiário.

Estágio como aliado na demanda por capacitação

Uma das tarefas mais intrincadas para uma empresa é capacitar os seus funcionários. À medida que as descobertas tecnológicas avançam, avançam também as mudanças no mercado de trabalho. O resultado disso é que demanda por gente qualificada aumenta consideravelmente. Não é à toa que em uma pesquisa de 2014 constatou-se que 85% dos participantes de um fórum sobre alimentação afirmaram que as empresas em que trabalham oferecem treinamento com vistas à capacitação.

Vantagens de um profissional capacitado

Um profissional verdadeiramente qualificado e capacitado oferece à empresa não só trabalho de excelência como um certo conforto. É possível confiar a ele tarefas e responsabilidades sem correr o risco de que o produto ou resultado final seja diferente daquilo que representa o branding da empresa.

Como resolver a questão?

No entanto, embora fale-se muito em capacitação, o assunto nem sempre é claro para os envolvidos na hora da escolha do profissional. O RH não pode contratar, indefinidamente, um funcionário especializado em determinado assunto sempre que houver demanda. Naturalmente, a empresa tem um limite para as suas contratações. Em todo caso, uma das formas de se solucionar o problema é capacitando pessoas que já façam parte dos quadros da instituição para que possam desenvolver outras tarefas, tornando-as aptas para novos desafios.

Estagiários como parte da solução

Outra forma bastante viável para solucionar a questão dá-se com a contratação de estagiários. E por quê? Por uma questão muito simples: é possível contratar estagiários que tragam consigo conhecimentos atualizados e específicos para aquele determinado setor. Mesmo que inexperiente e em fase ainda de learning, o estagiário tem a vantagem de não onerar a folha de pagamento da empresa quando comparado a um profissional sênior. Outra vantagem é que, frequentemente, traz consigo novas ideias, informações e aprendizado. Além de estar motivado e empenhado em ingressar com o pé direito no mercado de trabalho.

Turnover

Outra vantagem na contratação de um estagiário se dá quando a empresa tem necessidade de preencher vagas temporárias, ou seja, para trabalhos necessários apenas por um período de tempo predeterminado. Embora o estágio não possa, por lei, ultrapassar dois anos, nada impede que a empresa, satisfeita com o desempenho do estagiário, o contrate pelo regime da CLT.

Lei que dispõe sobre estágios

A lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008, dispõe sobre o estágio de estudantes. Em seu primeiro artigo, afirma que “o estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam frequentando o ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos” (Cf.: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11788.htm).

Passo-a-passo para lidar com a burocracia do estágio

Desvende todas as etapas para ter um universitário na equipe, desde a contratação até a rescisão

Como qualquer nova aquisição, contratar um estagiário para a empresa demanda tempo para desvendar a burocracia envolvida. Para facilitar a vida de quem tem uma vaga, o Estagiários Online (www.estagiariosonline.com.br) realiza todas as etapas do processo de modo 100% digital e automatizado, incluindo a seleção e a formalização. A plataforma de recrutamento e seleção de estagiários traz o passo-a-passo para ter um universitário como novo integrante da equipe:

1. Pré-requisitos da empresa e universidade

Antes de assinar o termo de estágio, tanto a empresa como a universidade precisam atender certos pré-requisitos. A empresa deve alocar um funcionário para supervisionar o estagiário e oferecer instalações adequadas. Já a faculdade designa um professor efetivo para acompanhar o estágio e assinar os relatórios.

2. Estudante protegido

No caso de estágio não obrigatório é responsabilidade da empresa contratar seguro para o estudante. A cobertura deve abranger acidentes pessoais ocorridos durante a vigência do estágio, ao longo de todo o dia e em território nacional. Cobre ainda morte ou invalidez permanente, total ou parcial, provocada por acidente pessoal. A ausência de contrato e seguro caracterizaria vínculo empregatício.

3. Contratação propriamente dita

O termo de compromisso de estágio é a parte mais importante, e a empresa precisa seguir as instruções específicas da Lei de Estágio. Algumas informações indispensáveis são: responsabilidades de cada parte, plano de atividades, valor da bolsa, período de vigência, etc. “Criamos um modelo padrão que atende à maioria das instituições de ensino. Quem opta pela formalização pela plataforma Estagiários Online, além do seguro obrigatório, conta com essa facilidade”, explica o CEO Kleber Costa.

4. Renovação e avaliação

O contrato de estágio costuma ser semestral ou anual, com renovação por até dois anos para a mesma empresa. De acordo com a lei, a empresa deve apresentar relatório semestral de atividades para a universidade, com assinatura do estagiário e do supervisor. O estudante tem direito a férias proporcionais, de preferência no mesmo período do recesso escolar.

5. No fim da experiência

Quando o universitário for desligado, a empresa entrega um termo de realização do estágio, com o resumo das atividades desenvolvidas, o período e a avaliação de desempenho. Também deve deixar à disposição da fiscalização documentos que comprovem a relação de estágio. “Por uma pequena taxa mensal, a plataforma Estagiários Online auxilia as empresas desde a seleção de candidatos até a rescisão. As empresas podem migrar os estagiários já contratados para a plataforma e reduzir gastos em até 60%”, explica o CEO. O site ainda facilita a gestão de contratos e envia notificações na época de renovar, dar férias, fazer avaliações, entre outras funções.

Sobre o Estagiários Online

Plataforma de recrutamento e seleção que conecta empresas e estagiários. Foi lançada este ano pelos empresários Marcos Botelho, Kleber Costa, André Diniz, Arnaldo Tibyriçá e Francisco Bernardes. É grátis e oferece para empresas radar de talentos e painel de controle de vagas com métricas. Os candidatos podem gravar um videocurrículo e conversar com as empresas pelo chat online. Em breve, terá a nova funcionalidade de vídeo entrevista, para melhorar a qualidade do processo de seleção e otimizar o tempo, evitando o deslocamento. www.estagiariosonline.com.br.

Conheça os direitos dos estagiários

Férias, remuneração, horário especial em semana de provas, formalização: descubra os deveres da empresa ao contratar estudantes.

Ter estagiários na equipe é a saída encontrada por muitas empresas para formar mão de obra. Porém, todos os detalhes burocráticos e a formalização podem confundir os contratantes. Para facilitar o processo, Kleber Costa, CEO do Estagiários Online (www.estagiariosonline.com.br), plataforma de recrutamento e seleção de estagiários, esclarece as principais dúvidas:

Horários e férias

A jornada mais adotada é a de 30h semanais para o estágio de estudantes do ensino superior e educação profissional. O horário pode ser alterado em razão do período das aulas, de avaliações e de outros trabalhos didáticos. “Em semana de provas, o estudante poderá trabalhar meio período, a fim de garantir um bom desempenho nas avaliações, entretanto essa condição deverá estar prevista no termo de compromisso”, explica Costa. O universitário não pode compensar horas, pois é proibido fazer hora extra. Também tem direito a férias remuneradas de 30 dias, após um ano de contrato. O ideal é ser no mesmo período do recesso da faculdade.

Remuneração e benefícios

A bolsa-auxílio é mandatória somente quando o estágio não é obrigatório. O jovem também tem direito a auxílio-transporte, mas outros benefícios são opcionais. “Lembrando que todo estagiário precisa ser supervisionado na empresa e na universidade. E o funcionário encarregado deve fazer avaliações semestrais”, afirma o CEO.

Formalização

Para cumprir todas as regras da Lei de Estágio, a empresa precisa ter um termo de compromisso e seguro contra acidentes pessoais. Plataformas como o Estagiários Online já resolvem essa parte para os contratantes, fornecendo a apólice e o termo pelo site. “Em breve, todo o processo será resolvido virtual e automaticamente. Hoje, as empresas já podem postar uma vaga ou criar um radar de talentos, fazer todo o processo de seleção online, inclusive com videocurrículos e chat online, tudo de forma gratuita. Ao contratar o estagiário, a formalização também poderá ser feita pela plataforma, pagando uma taxa mensal”, esclarece Kleber. O site ainda auxilia na gestão de contratos, enviando alertas quando é preciso renovar, dar férias, fazer avaliações, etc.

Sobre o Estagiários Online

Plataforma de recrutamento e seleção que conecta empresas e estagiários. Foi lançado este ano pelos empresários Marcos Botelho, Kleber Costa, André Diniz, Arnaldo Tibyriçá e Francisco Bernardes. É grátis e oferece para empresas radar de talentos e painel de controle de vagas com métricas. Os candidatos podem gravar um videocurrículo e conversar com as empresas pelo chat online. Em breve, terá a nova funcionalidade de vídeo entrevista, para melhorar a qualidade do processo de seleção e otimizar o tempo, evitando o deslocamento. www.estagiariosonline.com.br.

 

RH: Como avaliar currículos para estágios

contamos como identificar qualidades e competências de estudantes com pouco histórico profissional

É como o mistério do ovo e da galinha: estudantes em início de carreira precisam de experiência para achar um estágio, mas não conseguem uma vaga por ainda não terem experiência. Do outro lado do balcão estão profissionais de RH, que têm a difícil missão de encontrar em um candidato sem bagagem as qualidades almejadas para trabalhar na empresa.

“Todo mundo passa por isso”, afirma Kleber Costa, CEO do Estagiários Online (www.estagiariosonline.com.br), plataforma de recrutamento e seleção de estagiários. “Mas é possível ler nas entrelinhas se o estudante tem afinidade e contribuirá com a empresa”, diz. Para ele, cinco cuidados ajudam a não errar na hora de analisar CVs de candidatos em começo de carreira:

1 – Busque objetividade

Com o desejo de impressionar, muitos estudantes recheiam seus currículos com informações nem sempre essenciais. É importante prestar atenção a habilidades que podem trazer benefícios para a vaga, como fluência em línguas e conhecimentos de programas de computador. Avalie o quanto o candidato é objetivo nesses campos.

2 – Avalie se o CV está completo

Além das habilidades e da experiência profissional do estudante, um bom currículo deve conter informações sobre a graduação em curso – instituição, semestre atual e ano de formação – e mesmo dados pessoais, como onde mora. “São as informações mais omitidas, o que já mostra certa displicência ou desatenção, e trata-se de informações relevantes para a empresa como, por exemplo, qual será o deslocamento até o local de trabalho”, conta o cofundador.

3 – Valorize projetos pessoais

Ainda que objetividade seja fundamental, às vezes os candidatos têm alguma experiência pessoal que denotam excelentes qualidades. “Isso é especialmente verdade para os jovens millennials, muito descolados, proativos e cheios de projetos em redes sociais, blogs, canais no Youtube, entre outros”, exemplifica Costa. Veja se o CV traz informações desse tipo.

4 – Priorize videocurrículos

Hoje, os vídeos são o tipo de conteúdo mais acessado na internet, portanto, é mais que natural pedir videocurrículos. Há diversas maneiras de disponibilizar o material, desde linksno próprio CV para o Youtube até o uso de plataformas específicas. Priorize quem utiliza o recurso, pois é quase como se fosse uma pré-entrevista, que ajuda a analisar previamente a postura, expressão e “brilho no olho” do candidato para ponderar se vale o encontro presencial – uma segunda etapa.

5 – Vá além do CV

As plataformas de seleção, aliás, oferecem diversas funcionalidades que facilitam a escolha dos candidatos. O Estagiários Online, por exemplo, fornece, entre outras ferramentas, um índice de afinidade. “É como um cruzamento de características entre candidato e empresa, um algoritmo que aproxima perfis semelhantes e garante maior sucesso para ambos os lados”, explica o CEO. Além disso, há a possibilidade de realizar chats online para a triagem para a entrevista, por exemplo.

Sobre o Estagiários Online

Plataforma de recrutamento e seleção que conecta empresas e estagiários. Foi lançada este ano pelos empresários Marcos Botelho, Kleber Costa, André Diniz, Arnaldo Tibyriça e Francisco Bernardes. É grátis e oferece para empresas radar de talentos e painel de controle de vagas com métricas. Os candidatos podem gravar um videocurrículo, fazer testes de habilidades e de inteligência emocional, entre outros. www.estagiariosonline.com.br.

RH: 10 dicas para contratar um bom estagiário

 Criamos uma lista com algumas dicas de como recrutar talentos para a sua empresa

Contratar bons estagiários, atualmente, é imprescindível para formar mão-de-obra especializada com menos burocracia e custos e, quem sabe, encontrar os futuros líderes da empresa. Confira:

 

1. Alinhe sua expectativa

É preciso saber o que esperar do estagiário. Tenha em mente que o universitário é um talento a ser lapidado, no qual vale investir tempo e conhecimento. Não espere a mesma desenvoltura de um profissional experiente, mas também não pense nele como um office-boy de luxo. Deve ser alguém com potencial, curioso, com iniciativa e as aptidões necessárias.

2. Onde procurar

A dica é investir em plataformas especializadas, como o Estagiários Online, que facilitam o processo seletivo, sem custo, e ainda ajudam a pular etapas ao disponibilizarem testes virtuais, vídeocurrículo e radar de talentos. Outro ponto é compartilhar em redes sociais a vaga para atrair muitos candidatos. Quanto mais, melhor será para refinar.

3. Avalie se fez lição de casa

Na entrevista, avalie se o candidato se preparou e pesquisou sobre a empresa antes. Isso demonstra interesse e aumenta as chances de o entrevistado estar mais ciente do que é esperado dele. Uma forma clássica de iniciar essa conversa é: “Por que quer trabalhar aqui?”, e não aceite respostas genéricas como “porque o ambiente parece legal”.

4. Note comprometimento

Certas atitudes já revelam características do candidato, antes ou durante a entrevista presencial. Mais do que reparar em atrasos, note se desmarca muito ou se é responsável e avisa com antecedência caso ocorra algum contratempo.

5. Teste como reage sob pressão

Não deixe o candidato totalmente confortável durante a entrevista. Em determinado momento, faça perguntas mais incisivas ou que o contrariem para checar como ele reage em situações adversas e se tem jogo de cintura para argumentar e mostrar seu ponto de vista. Essa atitude é essencial para checar agressividade e teimosia, por exemplo.

6. Pergunta-chave

Para checar determinada característica existe uma técnica infalível. Mais do que perguntar diretamente, por exemplo, se é criativo, resiliente, se sabe trabalhar em equipe ou tem perfil de liderança, peça para o candidato descrever uma situação que exemplifique aquela aptidão. Assim, fica mais difícil a pessoa inventar algo.

7. Vá além de notas acadêmicas e experiências profissionais

Para ganhar tempo e qualidade durante o processo de seleção dos candidatos, aproveite ferramentas como o Estagiários Online que oferece testes de inteligência emocional e filtros com base em valores e características comportamentais buscadas para a vaga. Isso pode fazer toda a diferença no dia a dia profissional.

8. Na prática

Deixe claro quais as funções que serão exercidas pelo candidato, dando exemplos de tarefas e situações reais. Afinal, ele também tem de gostar da vaga. Na sequência, realize um teste prático para analisar se o desempenho é suficiente. Por exemplo, solucionar uma questão técnica ou interpretação de texto em inglês.

9. Abra para questões

Ao fim da entrevista, reserve um tempo para o candidato fazer perguntas. Nem todos param para pensar nisso, mas as questões feitas revelam muito sobre o profissional. Dependendo do foco, mostra o que o atraiu para aquela vaga.

10. Deixe claras as oportunidades de crescimento

A nova geração pede feedback constante, uma hierarquia menos engessada e, principalmente, chance de aprender e de crescer dentro das companhias. Quando o candidato tem o perfil ideal para a empresa, deixe claras as oportunidades de crescimento que oferece, para não gerar frustração e diminuir a rotatividade.